RPA na Área de Saúde: O Impacto da Automação em Hospitais e Cuidados de Saúde

A tecnologia RPA na área da saúde 

A revolução tecnológica trouxe uma série de avanços para diversas áreas, incluindo a medicina e a prestação de cuidados de saúde. Uma das inovações mais notáveis é a Automatização de Processos Robóticos, ou RPA (Robotic Process Automation).

A tecnologia RPA, do inglês Robotic Process Automation, é uma tecnologia que utiliza software ou “robôs” para automatizar tarefas repetitivas, baseadas em regras e processos de negócios. Esses robôs são capazes de executar tarefas como entrada de dados, processamento de documentos e interações com sistemas digitais de forma autônoma, seguindo regras pré-definidas. Seu principal objetivo é aumentar a eficiência, reduzir erros e liberar tempo para que os profissionais possam se concentrar em tarefas mais complexas e estratégicas.

A RPA está se tornando cada vez mais presente em hospitais e instituições de saúde, proporcionando uma mudança significativa na forma como os serviços são entregues e administrados. Segundo o relatório da “Moving The Future”, esta tecnologia já é utilizada por 3.500 estabelecimentos de saúde brasileiros.

Com essa tecnologia em hospitais e nos cuidados de saúde, é possível enxergar inúmeros benefícios, pois sua implantação permite uma maior eficiência operacional, redução de custos e melhora na precisão dos processos, garantindo, assim, o bem-estar dos pacientes com um atendimento personalizado e individualizado, por meio da utilização dos recursos tecnológicos.

Neste artigo, você vai conhecer um pouco dos impactos dessa automação para a vida de pacientes e profissionais, os principais desafios, suas aplicações mais comuns e o futuro da automação na medicina.

Qual o impacto da automação em hospitais e cuidados de saúde?

Nos últimos anos, a automação de processos robóticos tem se tornado uma tendência significativa na área de saúde. Hospitais, clínicas e instituições de saúde têm adotado a RPA para otimizar uma variedade de processos, desde o agendamento de consultas até o gerenciamento de registros médicos eletrônicos. Segundo um artigo publicado pelo Wisconsin Institute for Healthcare Systems Engineering, da Universidade de Wisconsin, Estados Unidos, há dois elementos principais que representam a nova fase do mercado da saúde: Inteligência, com o uso de recursos de IA em um atendimento individualizado e focado no paciente para melhorar o diagnóstico e o tratamento, e interconexão, com a integração dos sistemas de saúde que permite formar uma rede de informação que gera eficiência em todo o processo

A adoção da RPA na área de saúde é impulsionada por diversos fatores, incluindo a crescente demanda por serviços de saúde que ficou em maior evidência desde a pandemia, resultando em uma maior necessidade de redução de custos operacionais e a busca por melhorias na qualidade dos cuidados.  Por isso, para falar sobre os impactos da automação em hospitais e cuidados com a saúde, é importante entendermos qual a consequência dessa tecnologia para os pacientes, profissionais da área da saúde e para a instituição hospitalar.

O dia a dia dos profissionais da saúde é bem intenso, eles precisam trabalhar com agilidade, segurança e fácil identificação das informações dos pacientes para conseguirem tomar decisões rápidas que muitas vezes impactam na vida de seus pacientes. Sendo assim, ao utilizar a tecnologia de automação nos atendimentos médicos, os profissionais da saúde conseguem ter acesso aos diagnósticos e resultados de exames de forma mais rápida e precisa, proporcionando um atendimento mais humanizado e, acima de tudo, tornando a experiência dos pacientes o mais confortável possível, além de contribuir para uma decisão clínica mais assertiva.

Já para a instituição hospitalar, a tecnologia de automação envolve, além da execução, o monitoramento e o controle das entregas, proporcionando transformações em toda a infraestrutura do hospital. Essas mudanças estão na redução dos custos por meio de um controle mais efetivo sobre as atividades. Além de diminuir, ou mesmo eliminar, o retrabalho, mitigar falhas e tornar os processos mais assertivos, inclusive a gestão de insumos. Tudo isso contribuindo para uma gestão de custos com mais efetividade.

Além de todas essas vantagens, também podemos citar a contribuição que essa automação pode fazer para os estudos acadêmicos. A tecnologia RPA colabora com o desenvolvimento de pesquisas e a inovação nos processos clínicos. A pesquisa clínica é fundamental para o desenvolvimento de novos tratamentos e terapias. Com a automação, é possível acelerar a coleta e análise de dados em estudos clínicos, impulsionando avanços na pesquisa médica. A automação também simplifica a documentação e a organização de dados em estudos, economizando tempo e recursos. Isso permite que a pesquisa clínica avance mais rapidamente e produza resultados significativos de forma mais eficiente.

Aplicações da tecnologia RPA em hospitais e cuidados de saúde

Existem inúmeras aplicações que podem ser utilizadas com a tecnologia RPA em que ela pode melhorar a eficiência, reduzir erros, acelerar processos e permitir que profissionais de saúde se concentrem mais no atendimento ao paciente, ao mesmo tempo em que mantêm registros precisos e seguros. Abaixo listamos as mais comuns e as que mais contribuem para o sucesso da automação em hospitais:

RPA de Admissão de Pacientes:

Automatização do processo de admissão de pacientes, coletando informações demográficas, histórico médico e detalhes de seguro. Isso pode acelerar a admissão e reduzir erros de entrada de dados.

Agendamento de Consultas: 

Os sistemas de RPA podem automatizar o agendamento de consultas médicas, otimizando o processo e reduzindo erros nas marcações.

Gerenciamento de Prontuários Eletrônicos: 

A RPA pode auxiliar na organização e atualização de registros médicos eletrônicos, garantindo a precisão e a acessibilidade das informações.

Gerenciamento de Estoque: 

A automação pode ser aplicada ao controle de estoque de medicamentos e suprimentos médicos, garantindo que os itens estejam sempre disponíveis quando necessários.

Monitoramento de Pacientes:

 A RPA pode ser usada para coletar e analisar dados de dispositivos médicos conectados, como monitores de saúde, para acompanhar os pacientes de forma mais eficiente.

Análise de Dados Clínicos:

A RPA pode ajudar na análise de grandes volumes de dados clínicos, identificando tendências e insights que podem ser usados para melhorar os cuidados de saúde.

RPA de Triagem de Exames de Imagem: 

Com o crescente números de pedidos, existe a possibilidade de automatizar a triagem de exames de imagem, como radiografias e ressonâncias magnéticas, para ajudar a identificar anomalias e priorizar casos urgentes.

RPA de Notificação de Resultados: 

É possível automatizar a comunicação de resultados de exames para pacientes e médicos, garantindo que os resultados sejam entregues de maneira oportuna.

RPA de Faturamento e Reivindicação: 

Automatização da geração de faturas, verificação de elegibilidade de seguro e submissão de reivindicações. Isso pode reduzir erros e acelerar o processo de pagamento.

Telemedicina:

 A RPA pode ser integrada a plataformas de telemedicina para automatizar processos como agendamento de consultas virtuais e envio de lembretes aos pacientes, além disso, viabiliza a conexão com os softwares que fazem as consultas online para deixar arquivadas todas as informações médicas dos pacientes. 

Gerenciamento de Estoque

A automação também pode ser usada para o monitoramento e controle de estoques de medicamentos e suprimentos médicos, garantindo, assim, que os itens estejam disponíveis para a utilização. 

Desafios da Implementação da RPA na Área de Saúde

Por mais que a tecnologia RPA para a área da saúde seja uma grande vantagem, é preciso ter em mente que também há desafios que precisam ser superados para que a automação possa contribuir de forma assertiva na vivência hospitalar. Abaixo listamos 3 desafios que podem impactar na implantação dessa tecnologia: 

Segurança de Dados

Com a Lei Geral de Segurança de Dados (LGPD) a segurança de dados dos pacientes virou uma prioridade máxima. A RPA envolve o manuseio de informações sensíveis, por isso é importante que as instituições hospitalares possam garantir que esses dados estejam protegidos contra vazamentos e acesso não autorizado. Essas medidas são fundamentais para a eficácia da tecnologia. 

Dependência da Tecnologia

Assim como toda inovação tecnológica, a dependência excessiva de sistemas automatizados pode ser arriscada. Caso ocorra uma falha no sistema, os profissionais precisam estar atentos para que a prestação de cuidados de saúde não seja prejudicada. Portanto, é importante manter sistemas de backup e planos de contingência.

Questões Éticas

A automação na área de saúde levanta questões éticas, especialmente quando falamos sobre a tomada de decisões médicas. Os profissionais de saúde devem manter o controle e a supervisão sobre as decisões clínicas, mesmo com a automação. Isso significa que eles podem, sim, utilizar a automação para conseguirem um panorama da situação do paciente, mas a decisão de como proceder com o paciente deve ser inteiramente humana.

O Futuro da RPA na Área de Saúde

O futuro da RPA na área de saúde é promissor. Como dito na pesquisa CEO Survey PWC, cerca de 76% dos CEOs de saúde no Brasil pretendem investir no digital nos próximos 12 meses. Comparando, em 2022, 40% dos hospitais nos Estados Unidos utilizavam essa ferramenta. Para 2027, a previsão é que 70% estejam aplicando a tecnologia para melhorar a qualidade do atendimento ao paciente, aumentar a precisão de diagnósticos, reduzir os custos e melhorar a eficiência do sistema de saúde. À medida que a tecnologia continua a avançar, espera-se que a automação desempenhe um papel ainda mais importante na prestação de cuidados de saúde e na vida dos profissionais e pacientes. 

Hoje já é possível enxergar alguns dos principais desenvolvimentos em potencial que essa tecnologia inclui. Abaixo listamos os mais relevantes. 

Integração com Inteligência Artificial (IA)

A combinação da RPA com a IA permitirá que os sistemas automatizados sejam mais autônomos e capazes de tomar decisões com base em dados e aprendizado de máquina. Mas não devemos esquecer que mesmo com as decisões baseadas em dados, o ser humano deve tomar a decisão final. 

Avanços na Telemedicina

A RPA facilitará a expansão da telemedicina, permitindo consultas virtuais mais eficientes, o acesso ainda mais facilitado a todo histórico clínico do paciente e facilitando o monitoramento remoto.

Melhorias na Pesquisa Clínica

A automação agilizará a coleta e análise de dados em estudos clínicos, acelerando a descoberta de tratamentos e terapias para inúmeras doenças.

Aumento da Personalização

A RPA permitirá uma prestação de cuidados mais personalizada, adaptada às necessidades específicas de cada paciente, melhorando a qualidade dos cuidados de saúde.

Conclusão

A RPA não foi desenvolvida para substituir os profissionais de saúde, mas para apoiá-los em suas funções. Quando automatizamos as tarefas administrativas, os médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde podem concentrar mais tempo e energia no atendimento direto aos pacientes e em atividades clínicas.

Isso melhora o bem-estar dos profissionais de saúde, pois reduz a carga de trabalho e permite que eles se concentrem em tarefas que requerem habilidades humanas únicas, como o diagnóstico e o planejamento de tratamentos.

Apesar dos muitos benefícios da tecnologia RPA, é importante destacar que sua implementação requer um planejamento cuidadoso, treinamento adequado, garantia de segurança de dados e entender quais as implicações éticas.

À medida que a tecnologia continua a evoluir, a RPA se tornará uma parte cada vez mais integrada e essencial da prestação de cuidados de saúde. O futuro promete inúmeras inovações que irão melhorar ainda mais a qualidade dos serviços de saúde e a vida dos pacientes. A RPA não é apenas uma tendência na área de saúde, mas uma revolução que está moldando o futuro da medicina e dos cuidados de saúde.

Compartilhe esse case

OUTROS POSTS