Como utilizar tecnologias plugáveis de automação para gerar resultados em dias

“Alexa, quanto tempo o trajeto da minha casa ao trabalho levará hoje?” Enquanto o smart speaker apresenta os cenários, um aplicativo no seu celular já configura a melhor rota.  Ao mesmo tempo, chega a notificação da reunião que você terá em 45 minutos.

O mundo aprendeu a contar com as tecnologias para otimizar o tempo e ganhar valor em suas operações, das mais simples – como o melhor trajeto para o trabalho – às mais complexas, como novos negócios disruptivos que surgiram (e surgem todos os dias) a partir da transformação digital.

Adaptar-se às tecnologias digitais em ascensão que unem automação de processos inteligentes, automação robótica, aprendizado de máquina e inteligência artificial para atingir um nível aprimorado de eficiência operacional de maneira acessível tornou-se uma prioridade. E uma das abordagens mais eficazes, rápidas e personalizáveis é a adoção de uma solução de automação de low code, semelhante a uma solução pronta para uso.

Nesse contexto, uma tendência no mundo dos negócios e da automação em  constante evolução, é o conceito de “plug & play”. Esse modelo tem desempenhado um papel central nessa transformação e as tecnologias plugáveis de automação estão se tornando cada vez mais populares, permitindo que empresas de todos os tamanhos otimizem seus processos e obtenham resultados significativos em questão de dias.

Neste artigo, exploraremos o que são essas tecnologias, como funcionam e como podem ser aproveitadas para impulsionar a eficiência operacional e a produtividade.

O Conceito de “Plug & Play” na Automação

Acompanhar os avanços tecnológicos é um grande desafio para a maioria dos departamentos de TI. Isso porque, além das tecnologias digitais estarem em constante desenvolvimento, muitas empresas ainda enfrentam obstáculos com a transformação digital e precisam lidar com sistemas legados cuja integração com ferramentas mais atuais é limitada.

Nesse sentido, cresce o número de organizações que buscam a solução a partir de tecnologias Plug & Pay: ferramentas, hardwares ou softwares dedicados que são comparativamente mais fáceis de adicionar aos sistemas e permitem flexibilidade para se adaptar às mudanças nas necessidades digitais.

A expressão “plug & play” tem suas raízes na simplicidade e na facilidade de uso, como pode ser exemplificado pela Siri e Cortana, as quais são definidas como assistentes virtuais de uso pessoal e mesmo de maneira mais limitada exercem a mesma função, além do exemplo que citamos logo no início do texto com a tecnologia da Alexa Echo Dot. Ela se refere à capacidade de conectar e usar uma tecnologia ou sistema sem a necessidade de configurações complicadas, programação extensa ou conhecimentos técnicos profundos. No contexto da automação, isso significa que as empresas podem implementar soluções prontas para uso em seus processos de negócios sem um esforço substancial.

As soluções Plug & Play têm várias formas. Podem se apresentar por meio de uma plataforma de experiência digital (DXP), ou seja, um conjunto de sistemas integrados para funcionar bem juntos e ajudar na entrega das melhores experiências digitais. Ou, ainda, podem fazer parte de tecnologias que são projetadas individualmente para se integrar, mesmo entre concorrentes. Seja como for, o objetivo do Plug & Play é único: oferecer a melhor experiência ao cliente, otimizando processos e operações para as empresas.

Tecnologias Plugáveis de Automação

Existem várias tecnologias plugáveis de automação que estão transformando a maneira como as empresas operam. Algumas das mais relevantes incluem:

RPA (Automação Robótica de Processos)
O RPA envolve o uso de bots (robôs) de software para automatizar tarefas repetitivas e baseadas em regras. O RPA é uma abordagem de automação que é frequentemente considerada “plugável” ou fácil de integrar em ambientes de negócios existentes (ou legados). Por meio dessa integração, os bots podem facilmente realizar tarefas como processamento de dados, preenchimento de formulários e extração de informações de documentos.

Aliar o RPA a soluções Plug & Play oferece às empresas a possibilidade de começar a automatizar tarefas rapidamente, sem a necessidade de projetos de automação demorados e complexos. A agilidade com que a solução começa a ser implementada na organização gera valor imediato. A automação de tarefas manuais e repetitivas pode ser iniciada em questão de dias, resultando em economia de tempo e redução de erros.

BPA (Automação de Processos de Negócios)
A automação de processos de negócios abrange uma perspectiva mais ampla, visando a otimização de fluxos de trabalho completos. As soluções BPA frequentemente incluem recursos de integração plugáveis, facilitando a automação de processos complexos. Isso simplifica a integração do BPA com soluções Plug & Play, que normalmente vêm com integrações pré-configuradas para uma variedade de aplicativos e sistemas. Isso permite que o BPA se conecte facilmente a outras partes do ecossistema tecnológico da empresa, como ferramentas de CRM, ERP, sistemas de e-commerce e muito mais.

As soluções Plug & Play são frequentemente escaláveis, permitindo que as empresas aumentem ou reduzam a automação de acordo com suas necessidades. Isso torna mais fácil ajustar os processos automatizados à medida que a empresa cresce ou enfrenta mudanças nas demandas do mercado.

Aplicativos em Nuvem
Muitas empresas estão fazendo a transição para aplicativos baseados em nuvem devido à sua capacidade de oferecer maior flexibilidade e facilidade de integração com outras ferramentas e sistemas. Isso engloba diversas funcionalidades, como armazenamento de dados na nuvem, colaboração em tempo real e soluções de gerenciamento de projetos. A combinação de aplicativos em nuvem com soluções Plug & Play possibilita às empresas aprimorarem seus processos e aumentarem a eficiência.

Graças às atualizações frequentes e ao suporte constante incorporados nos aplicativos em nuvem, a gestão da manutenção técnica se torna mais simples, reduzindo a carga sobre as equipes de TI. Essa integração beneficia a segurança, a flexibilidade e a fluidez com as soluções Plug & Play.

Plataformas de Integração
Plataformas de integração alinhadas a soluções plug & play possibilitam a simplificação e agilização da automação de processos de negócios. Essas plataformas vêm equipadas com conectores pré-configurados que se integram a uma ampla variedade de aplicativos e serviços, proporcionando aos usuários a capacidade de criar automações personalizadas sem a necessidade de realizar codificação extensa. Com essas ferramentas, é possível integrar, por exemplo, sistemas de CRM, e-mails, mídias sociais e muito mais.

Ferramentas como Zapier, Integromat e outras oferecem integração de aplicativos e automação de tarefas com simplicidade e facilidade de uso, eliminando barreiras tecnológicas e permitindo que empresas de todos os portes otimizem seus processos de negócios com foco no alcance da eficiência operacional.

Essas plataformas oferecem uma interface visual intuitiva que permite a configuração de ações através do simples arrastar e soltar (drag and drop) de componentes e preenchimento de campos. Esse processo torna-se acessível até mesmo para indivíduos sem conhecimentos avançados em programação, permitindo a criação de fluxos de trabalho automatizados. É possível, por exemplo, definir uma sequência de ações que são acionadas quando um evento específico ocorre – como, ao receber um novo e-mail, configurar a ferramenta para copiar automaticamente os anexos para um serviço de armazenamento em nuvem.

Empresas que adotam soluções Plug & Play destacam-se da concorrência ao operarem em um modelo de ecossistema que vai além de seus produtos ou serviços. A tecnologia não é meramente um suporte para o core business dessas organizações; ela desempenha um papel crucial, integrando-se ao planejamento estratégico dessas empresas.

A busca por maneiras de otimizar processos, economizar tempo e atender às demandas do mercado em constante evolução é decisiva para que uma empresa se mantenha competitiva. Instituições adeptas ao modelo Plug & Play incorporam a inovação e adaptabilidade como essência do negócio e, assim, constroem um ecossistema integrado que oferece valor e soluções para seus consumidores.

Exemplo Prático de Automação Plugável

Para ilustrar como a automação plugável pode ser aplicada, consideremos o cenário de uma empresa de comércio eletrônico. A empresa deseja melhorar a eficiência de seu atendimento ao cliente e reduzir o tempo de resposta. Eles podem adotar as seguintes abordagens:

  1. RPA: Implementar bots de RPA para automatizar a triagem de e-mails de clientes e direcionar as consultas para os departamentos apropriados.
  2. BPA: Utilizar uma solução BPA para automatizar todo o processo de gerenciamento de tickets de atendimento ao cliente, desde a abertura até o fechamento.
  3. Aplicativos em Nuvem: Integração de uma solução de help desk baseada em nuvem para gerenciar e acompanhar as consultas dos clientes.
  4. Plataformas de Integração: Usar uma plataforma de integração como Zapier e Workato para conectar o sistema de help desk com o CRM e as redes sociais, permitindo uma visão unificada das interações do cliente.

Com essa abordagem, a empresa pode reduzir significativamente o tempo de resposta ao cliente, melhorar a experiência do consumidor e economizar recursos no processo. Tudo isso pode ser implementado de maneira rápida, eficiente e trazer resultados em um curto espaço de tempo, graças às tecnologias plugáveis de automação.

A automação plugável está revolucionando a forma como as empresas automatizam seus processos de negócios. Com a escolha das ferramentas certas e a abordagem adequada, as empresas podem colher os benefícios da eficiência, economia de tempo e escalabilidade em um período de tempo surpreendentemente curto. A automação plug & play não é apenas uma tendência, mas uma estratégia essencial para empresas que desejam permanecer competitivas e continuarem a escalar os seus negócios. Aproveitar as tecnologias plugáveis de automação pode gerar resultados em questão de dias e impulsionar o sucesso a longo prazo de uma organização.

Compartilhe esse case

OUTROS POSTS